Cartas avulsas



1929




14.03  De Fernando Pessoa.
julho – Para José Pacheco, fac-símile em AAVV. (1993) Pacheko, Almada e 'Contemporânea'Lisboa: Centro Nacional de Cultura/Bertrand, 145 e extratexto.



1938



30.11  Para Irene Lisboa.



1951



01.02 – Para Alexandre Babo. O facsimile desta carta consta da edição da peça (1951) Há uma luz que se apaga: três atos, Porto: Oficina Portuguesa, (ver PREFÁCIOS) e extratos dela surgem na capa.




1952



22.05  (1983) De Jorge de Sena. Cartas inéditas a Régio e Vergílio Ferreira, Jornal de Letras, Lisboa 15.02. 16, 17.



1955



25.02  Para Alice Casais Monteiro.



1965



19.07 – De Fernando Grego.
23.07  De Régio:
e sobrescrito.
05.08  De Fernando Grego.


1966



10.09 – Para Barroso da Fonte – Portalegre – enviada para o Norte de Angola onde este autor combatia como oficial miliciano Ranger – agradece e comenta os livros Neve e altura e Formas e sombras; fac-símile na contracapa de Barroso da FONTE (2015) Braços duma cruz (1958-1961) – Guimarães: Cidade Berço.





1968


03 e 09.08.1968 - Para Maria Aliete Galhoz, Nova Renascença 22, vol. 6, Porto, 110-120.




1969



22.11  Para Luís Amaro (já escrita pela mão de Orlando Taipa).